A criança em desenvolvimento e a aprendizagem socioemocional

A aprendizagem cognitiva da criança é totalmente interligada com a aprendizagem emocional. Os processos de aprendizagem são gerados pelo amadurecimento do contexto relacional, emocional, dinâmico e, todos, dirigem as capacidades cognitivas. Ou seja, tudo que a criança presencia e realiza no meio que vive, serve de aprendizado para os sistemas emocionais e cognitivos.

A emoção vai dando forma as capacidades de aprendizagem, ao enfrentamento das crises emocionais e crises no desenvolvimento, ou seja, forma o contexto para que aconteça a aprendizagem de fato. A criança consegue transitar desde as emoções mais básicas até a capacidade de confiar no outro e aceitar transitoriamente a dependência para o seu desenvolvimento.

O desenvolvimento das competências socioemocionais das crianças é fundamental para o seu sucesso dentro e fora da escola. Essas competências incluem a capacidade das crianças de entender suas próprias emoções, focar, ter a atenção, relacionar-se bem com os outros e desenvolver a empatia.

As principais habilidades socioemocionais que precisam ser aprendidas são:

  • Autoconhecimento – A capacidade de reconhecer as próprias emoções e pensamentos e como isso influencia o comportamento do sujeito;
  • Auto regulação – A capacidade de regular as próprias emoções, pensamentos e comportamentos em diversas situações;
  • Relacionamento Pessoal/Habilidades de Relacionamento – A capacidade de estabelecer e manter relacionamentos saudáveis com diversos indivíduos e grupos;
  • Consciência Social – A capacidade de assumir a perspectiva do outro. Demonstrar empatia, incluindo aqueles de diversas origens e culturas;
  • Tomada de Decisões Responsáveis – A capacidade de fazer escolhas construtivas sobre comportamentos pessoais e interações sociais baseadas em padrões éticos, e normas sociais.

É preciso entender a importância do papel dos adultos na relação com as crianças. Isso pode parecer óbvio, mas valorizar a interação com qualidade entre os adultos e crianças tem sido pauta de muitos trabalhos.

A família é peça fundamental, principalmente quando pensamos na primeira infância. Se houver um envolvimento da família com o aprendizado na escola, fica mais viável dos efeitos das ações serem potencializados, ampliando ainda mais seus benefícios e fortalecendo as emoções.

Pensando no Brasil e nas diferentes possibilidades de implementação, metodologias e estratégias, estamos diante de um enorme desafio. Porém, tudo o que tem sido publicado, estudado e pesquisado nessa área nos incentiva a continuar apostando no trabalho com as habilidades socioemocionais desde a primeira infância, na perspectiva de gerarmos juntos um mundo com pessoas vivendo de forma mais responsável, comprometida e ética.

 

Até breve,

Luana Speck Polli Burigo

Fonoaudióloga e Psicopedagoga

Compartilhe isso:Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *