As otites de repetição na pequena infância e suas consequências para o desenvolvimento da linguagem

Nessa semana achei importante abordar um tema que é extremamente relevante aos pais que tem crianças na faixa etária de 0 a 3 anos de idade, as otites de repetição na pequena infância e sua relação com o desenvolvimento da linguagem.

A linguagem é uma capacidade inata ao ser humano. Porém para que esta se desenvolva é necessário que haja, dentre muitos fatores, a integridade do sistema auditivo. Para a criança aprender a falar, terá que ouvir, discriminar e processar os sons da língua. Audição e linguagem são competências que se encontram intimamente relacionadas. É através desse sentido que a informação sonora adquirida é necessária para o desenvolvimento verbal de uma Língua.

Quando estamos falando de aquisição de linguagem precisamos ter uma criança em boas condições de saúde, ou seja, ter boa alimentação, bom sono, boas condições respiratórias e auditivas.

 Vou me ater neste post sobre a saúde auditiva. Ter uma boa saúde auditiva é ouvir bem em termos de acuidade e qualidade. Para isso faz-se necessário ter um aparelho auditivo organicamente saudável, sem acometimento de doenças. Dessas doenças a que mais incomoda e preocupa na pequena infância são as otites de repetição.

O que é otite?  É uma inflamação no ouvido que pode afetar a orelha externa (conduto auditivo) ou a orelha média (depois do tímpano). A otite externa é uma infecção da pele que reveste o conduto auditivo.  Normalmente essa otite traz coceira e pode apresentar feridas. A otite média é uma infecção presente no que chamamos de orelha média, normalmente apresenta secreção, dor, febre e leva ao rebaixamento da percepção do som (perda auditiva). A otite média pode ser aguda e/ou secretora, e ambas requerem cuidados especiais.

Esse tipo de otite requer tratamento medicamentoso com antibióticos e muitas vezes o otorrinolaringologista acabam por indicar a cirurgia que consiste em colocar tubos de ventilação no tímpano para expelir a secreção existente na orelha média.

Uma criança que apresenta otites médias de repetição na pequena infância pode levar a diferentes consequências tais como: agitação, irritabilidade, déficits de atenção, isolamento, dificuldades com a aquisição da linguagem oral e dificuldades de aprendizagem, sem contar com as consequências estruturais que podem incidir sobre o aparelho auditivo.

O período crítico de aquisição e desenvolvimento da linguagem acontece durante os 2 ou 3 primeiros anos de vida, idade essa em que normalmente aparecem as otites.

Nas crianças de 0 a 3 anos as consequências de uma otite incidem com maior impacto na aquisição da linguagem oral e desenvolvimento cognitivo. Essa criança não escuta com clareza os sons da voz humana, bem como os sons da natureza não despertam interesse naturalmente, não criando significado e imagens mentais.

Estudos mostram que o comprometimento do desenvolvimento das competências linguísticas, que são consequência da perda auditiva temporária, advinda da otite, pode ter efeito duradouro, comprometendo não apenas a aquisição da linguagem, mas também a futura aprendizagem escolar no que diz respeito a leitura e a escrita.

            Com isso a criança muitas vezes atrasa já no desenvolvimento do balbucio que acontece por volta dos 6 a 8 meses. Não desenvolve as primeiras palavras e nem as primeiras frases.

            É importante que os pais prestem atenção aos sinais de resfriados constantes, dores de ouvido buscando realizar avaliações auditivas como a timpanometria que pode mostrar as condições da membrana timpânica e orelha média.

 

Fique atento!

Até o próximo post.

Fabiane Klann Baptistoti

Fonoaudióloga

Compartilhe isso:Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *