Integração Sensorial no TEA: Alterações no Sistema Vestibular

Para dar sequência aos textos sobre os sentidos da integração sensorial (leia mais aqui) vamos relembrar que a integração sensorial faz parte de um processo neurológico, portanto, o cérebro precisa analisar as informações de todos os sistemas sensoriais para poder se organizar e dar uma resposta adequada ao meio.

No textos de hoje falaremos sobre o sistema vestibular. O sistema vestibular é formado por um conjunto de órgãos da orelha interna, o que contribui para manutenção do equilíbrio. Esse sistema detecta informações importantes como o balanço, alterações gravitacionais, movimentação e deslocamento do corpo.

Os receptores desse sistema enviam mensagens dos movimentos para várias partes do cérebro, por isso, é um sistema que tem papel essencial no desenvolvimento infantil. Além disso, age em conjunto com o sistema proprioceptivo (em breve falaremos sobre esse sistema). Por exemplo, caminhar desviando de objetos é uma ação processada nesses dois sistemas. O sistema vestibular permite que tenhamos noção de movimento e o sistema proprioceptivo controla os músculos e articulações evitando que o corpo se choque com algum objeto.

É através das informações processadas pelo sistema vestibular que nosso corpo registra informações de posição, ou seja, se estamos parados ou em movimento, em que velocidade estamos nos movimentando, se estamos de cabeça para baixo, etc.

Este sistema é um dos primeiros a se desenvolver ainda na fase intra-uterina e após o nascimento permite o desenvolvimento de habilidades e controle postural, pois ao registrar a informação da gravidade o bebê desenvolve força nos músculos antigravitacionais, permitindo então controle de tronco e cabeça, sentar-se com a coluna alinhada, ficar de pé e ter equilíbrio para andar, por exemplo.

Conforme falamos anteriormente, as informações desse sistema são enviadas para diversas áreas do cérebro, sendo assim, permite o desenvolvimento das habilidades que envolvam os dois lados do corpo. Crianças com alterações nesse sistema podem apresentar dificuldades no planejamento motor e coordenação, e por consequência, dificuldades em saltar, segurar uma bola com as duas mãos, escrever ou recortar com uma mão enquanto segura o papel com a outra, podem apresentar medo de altura e dificuldade de equilíbrio. Outra alteração comum em crianças com problemas no processamento vestibular pode apresentar é a busca por movimentos, pois durante o desenvolvimento infantil o sistema vestibular ainda está em fase de maturação (até os 6 anos aproximadamente), portanto a criança sente necessidade de desafiar a gravidade e tem necessidade de movimento para estimular os receptores desse sistema.

Vale lembrar que os sentidos sensoriais agem de forma integrada, sendo assim, alterações num sistema pode influenciar em outros. Em caso de dúvidas procure um especialista.

Atenciosamente,
Grazielle Muniz Gobetti
Fisioterapeuta

Compartilhe isso:Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *