Arteterapia: Confiar no diferente para fazer a diferença!

PROJETO DE ARTETERAPIA, SUA IMPORTÂNCIA E INCLUSÃO NO ÂMBITO ESCOLAR E ACOMPANHAMENTO TERAPÊUTICO MULTIDISCIPLINAR.

SER criança.

Como é gostoso brincar de cabana feita de cobertores e contar histórias dentro delas? Ainda há lugar pra isso nos dias de hoje?

A tecnologia está tomando conta da mente das nossas crianças. E tão somente a mente. Onde estarão as informações adquiridas ao longo dos anos?

É preciso que o lúdico, a imaginação e o criativo estejam presentes, estimulando as relações vividas não só no racional e lógico, mas nos sentimentos, nos sentidos, no corpo e na alma.

E é nesse momento, que a Arteterapia mostrará um diferencial na Educação.

A Arteterapia é um acompanhamento terapêutico, onde a criança, individualmente ou em grupo, por meio da expressão criativa, livre e espontânea, imprime e aprende a reconhecer seus sentimentos e atitudes, proporcionando dessa forma, um novo olhar para si, transformando seus anseios, adquirindo mais equilíbrio em seu desenvolvimento e trazendo mais harmonia à sua vida.

Trabalhar a Arteterapia permite que cada criança, vivencie suas emoções e as expresse no fazer artístico, toda essa potencialidade criativa e transformadora.

Essas expressões criativas, autênticas e genuínas, imbuídas de intuição, imaginação e beleza, simbolizam as percepções do seu viver. Acontece por meio das linguagens artísticas corporais, visuais, plásticas, verbais, escritas, musicais, sensoriais, entre elas, dança, rítmo, música, poesia, pintura, desenho, modelagem, contação de histórias, fotografia, tecelagem, criações de sucata, mandala, etc .

A arteterapia busca na criatividade e expressividade, acessar imagens conscientes e  inconscientes, símbolos e seus significados.  É a função transcendente que acessa todo esse potencial expressivo espontâneo, pondo em ordem as questões psíquicas emergentes, organizando o espaço interno, “arrumando a casa”, trazendo equilíbrio emocional, motivação pessoal, alegria e harmonia à vida.

É trabalhar corpo e mente, alma e coração. É proporcionar sensações e despertar sentimentos, produzindo transformações pessoais.

Essas transformações, por sua vez, conectam-se a atitudes e pensamentos, e facilitam o entendimento do eu-outro, promovendo ganhos de autoconhecimento.

Unir objetividade e subjetividade, por meio de canais criativos, imaginários, divertidos, prazerosos e desafiadores, constroem elos legítimos de intimidade e confiança. Reforçam atitudes leais de relacionamento e fortalecem a relação de respeito, entre o eu-outro, vivenciando a empatia.

A sociabilidade estimulada pelas trocas vivenciadas nessas atividades arteterapêuticas, permitem que o espaço-tempo do eu-outro edifiquem valores na escola e em suas famílias, ou seja, em suas vidas, individual e coletivamente.

Na atuação especializada junto aos distúrbios de aprendizagem e autismo, acontece ao abraçar as muitas faces do acompanhamento terapêutico, ampliando o olhar multifacetado e fragmentado das terapias,  transcendendo as competências especializadas, se preocupando com a pessoa, respeitando e permitindo que ela expresse livremente suas emoções, anseios, cansaços e conquistas do dia-a-dia, em suas criações artísticas, formas ou cores. É o empoderar-se com a expressão criativa e o adquirir autonomia fazendo do seu jeito, sem intervenções didáticas, limitações ao criar, nem tecer críticas ou julgamentos. É encontrar a liberdade de ser e expressar o que pensa e senti, como agi e vive.

Praticar a arteterapia, desenvolvendo um processo terapêutico, traz consciência corporal, aqui e agora, física e emocional; estimula o potencial criativo, intuitivo, imaginário e simbólico; desperta dons e talentos; propicia inteiração social e comunicação; desenvolve a psicomotricidade e estímulos sensoriais; traz maior concentração e atenção, sendo importante integradora de atividades multidisciplinares; promove relaxamento físico e mental; elimina os bloqueios a execução artística e críticas à estética da criação; motiva a apropriação de outras atividades extracurriculares, como esporte, dança, leitura, artes plásticas, música, etc; zela pelo amadurecimento emocional, fator primordial de todo processo arteterapêutico: desperta o autoconhecimento, autoconfiança e autoastima, assim como, bem estar, equilíbrio e harmonia  as atitudes do dia-a-dia.

Enfim, criar um caminho aonde a Arteterapia possa ir além, abraçando o Ser criança na sua totalidade, unidade e inteireza, com suas facilidades e limitações, diferenças e singularidades. Cada um, único e especial como é.

Reconhecer essa unidade e poder dialogar com ela, estendendo a mão à Transdisciplinaridade, integram o saber e o viver, encantando a todos.

 

Patrícia Feijó Evangelista Winck

Arteterapeuta Especialista MEC 0503.15 ACAT 045/0313

Compartilhe isso:Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *