Meu filho NÃO se alimenta bem, será que eu preciso de ajuda?

Essa é uma dúvida recorrente de muitos pais: “Meu filho tem dificuldade de se alimentar, mas eu não sei se isso é realmente um problema e se é necessário eu fazer alguma coisa, se tem algum tratamento para isso.”

Se você responder positivamente para mais de 2 das perguntas abaixo você (e seu filho) se beneficiarão de ajuda e orientação profissional:

– O modo do seu filho comer está afetando o seu desenvolvimento social, emocional e físico?

– O momento da refeição do seu filho provoca conflitos familiares?

– Ele é capaz de comer uma variedade e quantidade suficiente de alimentos para atender às necessidades básicas de nutrição e crescimento? 

– Ele fica chateado com a presença de novos alimentos em seu prato?

– Ele sempre evitou comer alimentos sólidos?

– Será que ele evita situações sociais em que possa haver novos alimentos ou pressão para comer?

– A alimentação do seu filho esta fazendo com que ele ou você fiquem ansiosos a ponto de interferir no relacionamento familiar e/ou capacidade de desfrutar a vida?

– Você gasta uma quantidade significativa de energia e sanidade pensando em obter maneiras de fazer seu filho comer mais (quantidade e variedade)?

A dificuldade alimentar infantil é uma questão complexa, que precisa ser analisada de maneira ampla. Muitas vezes acontecem conflitos familiares, limitação de convívio social e alterações emocionais em todos os envolvidos no processo alimentar da criança.

Julgamentos, rótulos, preocupação e ansiedade não irão resolver a questão e, provavelmente, lhe trarão a sensação de que o problema instalado não tem solução. É necessário mudar o foco: seu amor, sua aceitação e empenho em ajudar seu filho aliado a orientação e acompanhamento profissional pode mudar essa realidade e tornar os momentos de alimentação mais eficazes e prazerosos!

 *Questionário retirado do livro: “Por que meu filho não quer comer?” da fonoaudióloga Patrícia Junqueira.

Até breve,

Jéssica Batista

Fonoaudióloga

Compartilhe isso:Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *