Quais as expectativas que você deposita no seu filho(a)?

Quando uma criança está no ventre de sua mãe, meses antes de nascer, já há expectativas sobre quem ela será após a chegada neste mundo.

Há expectativas dos pais, dos irmãos, tios, avós. Todos esperam que seja uma criança saudável, com energia, inteligente, bonita. Que vá bem na escola, cresça, trabalhe, viaje, se case, quem sabe tenha filhos um dia. Muito se espera da criança, antes mesmo dela vir ao mundo e poder escolher se irá querer ou não fazer todas essas coisas.

Quando as crianças nascem, vão se desenvolvendo e não necessariamente são como se esperava, há uma frustração por parte dos adultos a sua volta.

Não aprendeu a andar tão rápido, demorou para falar, não gosta da escola, é tímido. As crianças são medidas, muitas vezes com a régua da expectativa alheia e não baseado no seu tempo de desenvolvimento. Afinal o que é ser a criança perfeita? É alcançar todos os marcos de desenvolvimento? É ser a criança comportada que os pais esperam? E quais as potencialidades desta criança que por vezes fica desfocada?

É importante respeitar o tempo e a maneira de ser de seu filho. Apoia-lo em suas qualidades e aceitá-lo do jeito que ele é. Pois, ele percebe as expectativas que lhe são impostas e muitas vezes sofre por não alcançá-las, ou pode apresentar sofrimento por desejar coisas diferentes dos pais.

Uma tarefa difícil e importante para os pais é separar aquelas expectativas que são suas e das crianças. Afinal, os filhos, apesar de muitos acharem que sim, não são extensões dos pais, são pessoas separadas e que muitas vezes vão desejar e trilhar um caminho diferente e precisam serem respeitadas em sua singularidade. A maior preciosidade da vida é cada qual poder ser exatamente quem é e ser aceito assim.

Até breve,

Tamara do Nascimento

Psicóloga

Compartilhe isso:Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *