Integração Sensorial no TEA: Alterações no Sistema Tátil

Conforme falamos no post anterior (leia aqui),publicaremos uma sequência de textos, elucidando o que acontece quando há alteração em cada um dos sete sentidos envolvidos na integração sensorial.

A Integração sensorial é um processo neurológico e inconsciente, responsável pela organização e processamento das sensações vindas do meio externo para que possamos ter uma resposta adequada e usá-las no dia-dia.Quando ocorre alteração em algum dos sistemas, a informação do meio externo é recebida, mas não é interpretada pelo cérebro adequadamente, levando a uma resposta inapropriada (leia mais aqui).

Hoje falaremos um pouco mais sobre o sistema tátil que é responsável pela percepção de sensações como temperatura, dor, pressão, texturas, formas e tamanhos. É primeiro sentido a surgir no ser humano e é o único sistema que permite à pessoa experiências através de um contato físico direto.

Esse sistema também está envolvido na manipulação de objetos e é dividido em duas partes:  o sistema protetor que alerta sobre perigo e o sistema discriminativo que permite discriminar, por exemplo, em que parte do corpo somos tocados ou no que tocamos.

Os receptores responsáveis pela discriminação tátil estão localizados na pele, em sua maioria, na palma das mãos e dedos, sola do pé, boca e língua.

Crianças com hipersensibilidade tendem a apresentar uma resposta exacerbada ao toque e tendem a se antecipar ao toque. Geralmente a resposta é dada com uma interpretação negativa emocionalmente, seu comportamento é de medo, reação de “proteção, luta e fuga” exacerbadas ou de paralisar suas reações. Também podem apresentar comportamentos típicos como dificuldade e reações exageradas nas trocas de roupa, banho, alimentação, atividades com pintura, massinhas, bichos de estimação ou o contato com pessoas, entre outros.

Já a criança com hiposensibilidade é pouco sensível ao toque, demonstra comportamento de passividade, sem reação aos estímulos externos e  pouca resposta para estímulos como toque, sons, cheiros, sabores e texturas.

Portanto, se o Sistema Nervoso Central da criança não registra as informações sobre como as coisas realmente são, pode ser preciso que a criança toque ou rejeite os estímulos repetidas vezes para aprender sobre textura, tamanho e forma. Pode haver também dificuldades nas habilidades manuais, como para desenhar, cortar, pintar.

Alterações nesse sistema também podem causar dificuldades no desenvolvimento da percepção tátil, consciência corporal, planejamento motor, controle motor amplo e fino, segurança emocional e habilidades sociais.

O tratamento dessas alterações é feito principalmente por Terapeutas Ocupacionais, porém, outros profissionais de saúde, como Fisioterapeutas e Fonoaudiólogos também podem aplicar técnicas baseadas na integração sensorial com objetivos de organizar esses sistemas.

Em caso de dúvidas procure um especialista.

Atenciosamente,

Grazielle Muniz Gobetti

Fisioterapeuta

Compartilhe isso:Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *